Uma pessoa tímida pode se tornar um vendedor de sucesso?

Uma pessoa tímida pode se tornar um vendedor de sucesso?

A boa notícia: normalmente, a timidez é um comportamento consequente de questões que você poderá facilmente endereçar e resolver

Dúvida de leitor: sou tímida, e isso às vezes atrapalha minhas vendas. Noto que minhas colegas de trabalho sempre se saem melhor do que eu, e a empresa cobra resultados em longo prazo. O que devo fazer?

Timidez é sempre um argumento usado por pessoas que atuam em vendas como um obstáculo ao bom desempenho e muitos perguntam como fazer para superar esse desafio e se tornar um bom profissional.

A boa notícia é que normalmente, a timidez é um comportamento consequente de questões que você poderá facilmente endereçar e resolver com algumas atitudes bem objetivas.

Existem dois tipos de pessoas: as introvertidas e as extrovertidas. A diferença dessas características para a timidez – que não é um tipo de personalidade – é que as duas primeiras têm a ver com a maior ou menor propensão ao contato social e maior ou menor facilidade de expor a si mesmo ou seus conceitos e pensamentos, que demonstram maior ou menor sociabilidade.

Essas características interferem na atividade profissional, na maior parte das vezes, de forma bem moderada a pequena. Já a timidez, causada pelo desconforto na interação com pessoas por uma preocupação exagerada com atitudes, reações ou mesmo pensamento dos outros, interfere diretamente e muito nas atividades e realização dos objetivos profissionais.

Em resumo, se você é introvertida ou extrovertida, possui uma característica individual sua que interfere muito menos em sua vida profissional que a timidez. A timidez, por outro lado, é um excesso de preocupação com as outras pessoas e com o que está fora de seu controle. Ela certamente a atrapalha e incomoda.

 

A primeira atitude é entender exatamente com o que o seu comportamento está relacionado ou qual o seu perfil de comportamento. E, nesse aspecto, um teste de perfil vai ajudá-la a se conhecer melhor e entender qual o melhor caminho a seguir. DISC ou Myers Briggs são boas dicas.

Não é fraqueza e não é sinal de inferioridade você pensar nisso; pelo contrário. Se conhecer melhor é um grande passo para a melhoria pessoal e profissional. Mas procure profissionais certificados. Eles saberão o que fazer e como conduzir esse processo.

Uma segunda atitude, que certamente não exclui a primeira, é você se aperfeiçoar na função. Um bom antídoto para a timidez é a segurança, o conhecimento de sua atividade. Faça cursos, aprimore-se. Vendas não é uma questão de personalidade ou dom, que as pessoas nascem sabendo.

É claro que existem pessoas com perfil nos quais as coisas são mais fáceis; outros, nos quais o caminho exige mais. Mas, em todos os casos, aprender os conceitos e técnicas é fundamental. Cuidar-se, em todos os sentidos, é também uma forma de vencer a timidez. Cuide da saúde e da aparência. Muitas pessoas tímidas tornam-se excelentes profissionais de vendas por melhorarem a sua segurança, através do conhecimento e da postura pessoal positiva.

Terceira atitude: procure olhar as suas colegas com o olhar construtivo e veja o que elas fazem e o que você não faz. Muitas vezes, o que você chama de timidez, ou a falta dela, são atitudes positivas, assertivas ou mesmo que criam a empatia necessária ao processo de vendas. O faz elas se saírem melhor do que você pode não ter nada a ver com timidez. Aprenda com suas colegas. Mesmo em ambientes competitivos, é possível.

Como quarta atitude, fale com sua gerente. A empresa cobra resultados sim, mas muitas vezes está disposta a ajudar funcionários que, como você, estão interessados na melhoria profissional. Provavelmente, ela poderá também ajudá-la com isso.

Como quinta e última dica, digo para nunca usar a timidez como justificativa. Ela pode ser cuidada e, com afinco, deixar de ser um obstáculo. Só depende de você ultrapassá-lo!

Enio Klein é gerente geral nas operações de vendas da SalesWays no Brasil e professor de vendas e marketing da BSP – Business School São Paulo.

FONTE: EXAME.com – ‎10 de mai de 2017‎

O papel do Marketing nas Empresas

O papel do Marketing nas Empresas

Você que tem um negócio, está iniciando um, ou até mesmo pretende chegar lá, é muito importante entender o quanto o marketing é importante pra o sucesso de um negócio, principalmente pelo fato de se existir uma competição de mercado, é que o marketing é tão importante.

Você que tem um negócio, está iniciando um, ou até mesmo pretende chegar lá, é muito importante entender o quanto o marketing é importante pra o sucesso de um negócio, principalmente pelo fato de se existir uma competição de mercado, é que o marketing é tão importante. É meus amigos, não é fácil estar a frente do mercado, e ser o Top Of Mind, é preciso conhecer a concorrência, acompanhar tendências, comportamentos, planejar ações, e monitorar a marca. Não tenha em mente que o marketing é apenas criar um comercial, uma promoção, ou vender um produto. É preciso gerenciar a comunicação interna da sua empresa, criar ações para melhorar a satisfação dos clientes, cuidar da imagem da empresa ou marca para garantir uma boa reputação, enfim, acompanhar tudo na empresa que possa modificar de alguma forma a imagem e a qualidade da sua marca, e isso começa pelos nossos clientes internos, até passar para os externos.
A posição de sua marca no mercado, será de acordo com as ações a médio e longo prazo, e por isso resolvi compartilhar um estudo de caso da marca Coca Coca que analisei em minha pós-graduação. Vamos conhecer um pouco e analisar parte a parte como a Coca Coca se tornou líder de mercado:

A Coca Cola, uma marca internacionalmente conhecida, que atua a anos no mercado brasileiro é um exemplo de como é importante o marketing nas empresas. Tudo começou em 1886, quando um coronel, John Pemberton, que, querendo criar sua própria versão do vinho de cola, enviou seu sobrinho Lewis Newman para produzir uma pesquisa de mercado com as amostras para uma farmácia local. O nome e o logotipo original (atual) da marca eram ideia de um contador de Pemberton, que projetou o logotipo em sua própria escrita. Não ter mudado sua logomarca até hoje é a melhor estratégia adotada pela Coca Cola. Pouco tempo depois a fórmula foi vendida para Asa G Candler, que o converteu em um refrigerante, o marketing de verdade começou a partir daí.
Durante a era de Candler, Coca-Cola foi vendida somente através das fontes da soda. Mas duas mentes inovadoras, Benjamin F. Thomas e Joseph B. Whitehead, garantiram os direitos exclusivos da Candler (em apenas US $ 1) para as vendas de coca-cola engarrafadas.
Mas a Coca-Cola sendo tão famosa nos EUA foi submetida a imitações. As primeiras campanhas de publicidade como “Demand the genuine” e “Accept no substitutes” ajudaram um pouco a marca, mas houve uma extrema necessidade de se diferenciar. Assim, em 1916, a única garrafa de Coca-Cola foi projetada pela Root Glass Company de Terre Haute, Indiana. O design da garrafa de marca registrada não foi alterado até agora. Em 1919, Candler vendeu a empresa a Robert Woodruff cujo objetivo era tornar a Coca-Cola disponível para qualquer pessoa, a qualquer hora e em qualquer lugar. Plantas de engarrafamento foram criadas em todo o mundo e coca-cola tornou-se a primeira marca verdadeiramente global.

Robert Woodruff tinha algumas outras estratégias também. Ele estava focado em manter um padrão de excelência à medida que a empresa crescia. Ele queria posicionar a Coca-Cola como um produto premium que merecia mais atenção do que qualquer um de seus concorrentes. E ele conseguiu isso. Coca Cola cresceu rapidamente em todo o mundo.
A popularidade mundial da Coca Coca foi devido a certas estratégias simples e inovadoras de marketing, como:

Consistência
Consistência pode ser visto de um logotipo para a garrafa, design e o preço da bebida. A Coca-Cola se manteve simples com cada slogan que gira em torno dos dois termos “apreciar” e “felicidade”.
Branding
Desde a garrafa estrela para os calendários, relógios e outros produtos não relacionados, Candler começou a tendência de fazer Coca-Cola conhecida em toda parte. A empresa seguiu a mesma estratégia. Coca-Cola está em toda parte e, portanto, tem o logotipo mais renomado do mundo.
Posicionamento
A Coca-Cola não se posicionou como um produto. Foi e é uma “Experiência” de felicidade e alegria.
Modelo de franquia
Os direitos de engarrafamento foram vendidos a diferentes empresários locais, que é continuado até agora. Assim, a Coca-Cola não é uma empresa gigante, é um sistema de muitas pequenas empresas que reportam a uma empresa gigante.

Personalização e Socialização
Ao contrário de outras grandes empresas, a Coca-Cola manteve seu posicionamento como uma marca social. Ele fala com os usuários. A Coca-Cola já não é uma empresa, é uma parte de nós agora. Com suas ideias de propaganda icônicas que incluem “Compartilhar uma Coca-Cola”, manteve um lugar especial no coração de seus usuários.
Diversificação
A Coca Cola, depois de marcar presença em todo o mundo, deu seu primeiro passo para diversificar seu portfólio em 1960, comprando a Minute Maid. Atualmente, opera em todos os países com exceção de 2 em todo o mundo com um portfólio de mais de 3500 marcas.

Fatos do marketing de Coca Cola
• Logo & garrafa design não mudou desde o início.
• Durante seu primeiro ano, Coca Cola vendeu uma média de 9 bebidas por dia.
• Norman Rockwell criou arte para anúncios de Coca-Cola.
• Coca-Cola teve um papel enorme em moldar a nossa imagem de Papai Noel.
• Na década de 1980, a empresa tentou uma campanha “Coca-Cola pela Manhã” para tentar conquistar bebedores de café.
• Em 1923, a empresa começou a vender garrafas em embalagens de seis, o que se tornou prática comum na indústria de bebidas.
• A alguns anos atrás foi no noticiário que a Verizon adquiriu o Yahoo por cerca de US $ 5 bilhões, que é mais ou menos a mesma quantidade que a Coca Cola Company gasta em seus anúncios.
Finalizando vale destacar o posicionamento de mercado da Coca Cola, ou de outras marcas conhecidas como a Unilever, que desempenham um ótimo trabalho de branding, fazendo com que ela seja única na mente dos consumidores. Não importa o tipo de negócio você tem, é preciso elaborar ações que te diferencie dos demais.

FONTE: TALES EDUARDO DE MACEDO LIMA – Administradores – ‎09/05/2017